sexta-feira, 20 de março de 2009

OUVIR O SILÊNCIO




Li a frase "Ouvir o silêncio" e fiquei a pensar sobre ela. Achei-a tão bela e tão profunda que decidi dedicar um post sobre o silêncio. Como gosto do silêncio! Na presença dele é que produzo mais. Eu me encontro nele... na ausência do som, mas em profundo contato com meus pensamentos, com o meu "eu". Todos nós devíamos dedicar mais tempo a momentos como esses. Cada vez mais somos bombardeados pelos mais variados sons. E a maioria deles nada agradáveis. Isto não significa que não haja sons deliciosos de se ouvir como o da chuva, do vento, do canto dos pássaros, da melodia daquela música que tanto gostamos e o som do mar... das ondas. Sons maravilhosos que contrastam com o barulho dos automóveis, das buzinas, das máquinas, do burburinho da multidão e muitos outros que acabam tirando a oportunidade de mergulhar em nosso "eu". Sons que irritam e stressam. Bom é poder "ouvir o silêncio". Refletir, meditar. Ouvir o silêncio é tão importante quanto ouvir os sons melodiosos da natureza. E por que não combiná-los?
Li alguns textos sobre o tema e encontrei um belíssimo comentário, o qual transcrevo:

"O silêncio sempre mora dentro de nós, mas, por medo do que ele possa nos dizer, nunca queremos ouvi-lo. E ficamos insistindo em abafar os nossos sentidos com barulhos que não nos dizem nada. Devemos parar e ouvir o que o silêncio nos quer dizer."

Felipe Coutinho

Grande verdade. Muitos têm mesmo medo de encarar o silêncio. Medo de encontrar-se, de perceber a verdade, a realidade. E acham que só o barulho vai protegê-los. Mas continuo a acreditar no "ouvir o silêncio". Ele é a nossa salvação.
Foto cedida por Cláudio Silva

8 comentários:

Fenix disse...

Concordo completamente!

Sem o silêncio exterior, para poder ouvir-me a mim própria, eu não seria quem sou. Seria muito pior do que sou.
E reconheço que, embora nunca o tenha feito propositadamente, às vezes é realmente mais fácil (mas inútil), escondermo-nos nos ruídos que nos envolvem. Os fantasmas da alma não desaparecem fugindo deles, mas enfrentado-os.

Gostei de ler!
Muito bem escrito!

Beijinhos
São

Paula Raposo disse...

É ouvindo o meu silêncio que eu escrevo...bem vida à blogosfera!! Beijinhos

Paula Raposo disse...

Evidentemente que me enganei...bem vinda e não bem vida à blogosfera!! Através da São aqui estou a visitar-te. Beijos.

A Menina do Regador de Sonhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lilipat2008 disse...

A fénix fez publicidade e cá estou eu...:)

Sabermos ouvir o silência é uma arte...gostei do texto :)

bjs

Canduxa disse...

Seja bem vinda Belita.
Eu sou ainda um bebé bem pequenina (nasci há pouco mais de 1 mês), mas cheia de força para partilhar as minhas experiências.
Quanto ao silêncio...é nele que encontro respostas para muitas perguntas, que me sinto em paz e encontro o meu equilíbrio para poder olhar o mundo e vê-lo sempre colorido.
Beijinhos
canduxa

lélé disse...

Olá, Isabucha... Também sou freguesa da Fenix e, constato, ela dirigiu-me bem.
Concordo muito com o que escreveste sobre o silêncio... Quando nós falamos connosco... Lembrei-me daquela atitude, que muita gente, eu incluída, tem, quando tem medo: faz barulho, põe a música no máximo, bate com as portas, canta alto, enfim, aquilo a que se costuma (pelo menos, costumava) chamar "espanta-elefantes"... (Tás a ver aqui algum elefante? Não, pois não? Então, dá resultado!)
Beijinhos

Ricardo Marques disse...

Olá, sou novo por aqui mas gosto dos textos que vais partilhando :)
Sou como tu, no silencio e que sou capaz de me concentrar o sficiente para produzir o melhor de mim.

Vou inventar uma frase:
"O silencio e a voz da criatividade e da imaginação"

WOW....
xD

Sou mesmo eu... xD

Enfim, gostei de passar por aqui.
Olha, convido-te a passares no meu espaço... tem umas cronicas que es capaz de apreciar (ou nao... ). Mas acho que nao se perde nada ahah xD

Cumprimentos!